Spawn de Cogumelo: 6 passos de como transformar grãos em semente de cultivo

 Em Dicas de Cultivo

 

Vimos nos artigos passados como trazer à vida lindos cogumelos psilocybe cubensis através da elaboração de bolos PF Tek; uma técnica simples e fácil, porém, não muito escalável. O próximo passo então na jornada de cultivo de cogumelos mágicos é deixar os bolos para trás e dar início ao cultivo com grãos, desenvolvendo assim o Spawn de cogumelo, conhecido também como a semente do cogumelo. O cultivo de cogumelos através do uso dos grãos permitirá com que você desenvolva cultivos maiores em quantidade e em rendimento.

 

Que tipo de grãos podem ser usados para fazer um spawn de cogumelo?

Diversos grãos podem ser utilizados para o desenvolvimento do Spawn de cogumelo, sendo que alguns aspectos dentre eles variam, como tamanho e a capacidade de retenção de água. Os grãos mais comuns na micologia são: milho pipoca, aveia (com ou sem casca), trigo, sorgo, arroz, milheto (painço) e azevém. Um detalhe importante é de que assim como tudo no cultivo de cogumelos, alguns cultivadores juram que o grão X é melhor que o grão Y, porém isso não existe; é puramente uma questão de adaptação e funcionalidade. Se algo não funcionou bem para uma pessoa não significa que não pode trazer lindos resultados para você, e vice-versa.

Caso você pretenda cultivar cogumelos mágicos constantemente outro fator importante à escolha do grão que você usará em seus cultivos, além da adaptação, é o preço. Alguns grãos podem chegar até 10 reais o kg enquanto outros podem ser encontrados a 2 reais o kg. Fazendo um balanço entre adaptação, funcionalidade e preço você vai encontrar o seu grão ideal que lhe dê bons resultados e poupe custos. Agora, caso você cultive de maneira esporádica, você pode se ater mais ao que você gosta de utilizar do que ao preço do insumo.

 

6 passos para fazer um spawn de cogumelo

  1. Hidratação: para ser possível com que o micélio apresente um bom desenvolvimento no grão, o mesmo precisa possuir uma quantidade boa de água em seu interior, mas sem ser em excesso, pois a hidratação excessiva dos grãos faz com que eles se rompam e possam grudar entre si, dificultando assim a quebra do spawn de cogumelo, futuramente no momento da inoculação do substrato bulk. A hidratação excessiva também promove uma condensação intensa no interior dos recipientes utilizados após o processo de esterilização. Mas fique tranquilo estudante, hoje já existem receitas de hidratação dos grãos que o deixam exatamente no ponto ideal de hidratação, então basta seguir o protocolo e dar procedimento a seu cultivo.
  2. Secá-lo por fora: Após o tempo de hidratação ter sido completado, a água deve ser escorrida e separada dos grãos com o auxílio de uma peneira ou de qualquer outra tela. Após a remoção da água, o grão deve ser espalhado (quanto mais espalhado, mais rápida será a secagem) em algum recipiente, superfície ou telado. Se estiver com muita pressa, você pode ir secando os grãos com o auxílio de papel-toalha, mas isso se torna viável apenas para pequenas quantidades de grão. A secagem externa dos grãos é um fator de extrema importância para o bom desenvolvimento do micélio como também para a ótima germinação dos esporos. A ideia aqui é fornecer um grão seco por fora e hidratado por dentro. A não secagem devida dos grãos é um outro fator que auxilia no desenvolvimento de uma condensação intensa nos recipientes onde estão os grãos. A presença de água livre nos frascos atrasa o desenvolvimento do micélio e, quando em excesso, pode até impedir sua colonização nas partes inferiores do frasco e também facilitar o desenvolvimento de bactérias contaminantes. Por esses motivos, é muito importante deixar o grão seco por fora. Caso não fique seco por completo, o que é completamente normal já que nem sempre temos tempo ou a paciência para esperar o grão secar perfeitamente, basta adicionar algum dos outros aditivos que retenham essa água, como o sulfato de cálcio e/ou a vermiculita.
  3. Colocar nos recipientes: após ter escolhido, hidratado e ter deixado secar externamente seu grão, chegou a hora de inseri-lo no recipiente de sua escolha. Para isso, pode ser utilizado frascos de conserva de diferentes tamanhos, potes de polipropileno 5 e também bags de cultivo, sejam elas desenvolvidas na sua própria casa ou compradas já prontas.
  4. Esterilizá-lo: a esterilização de grãos precisa ser mais longa do que as esterilizações feitas para os bolos PF Tek pois os grãos são mais rígidos e portanto precisam de mais tempo para que atinjam por completo as altas temperaturas da esterilização. Para todos os grãos, deve-se esterilizá-los por 90 minutos na pressão.
  5. Resfriamento e inoculação: após a o tempo de esterilização ter sido completado, a panela de pressão deve ser deixada resfriar por completo antes de ser aberta. Aqui você pode escolher tanto deixar seus recipientes com grãos resfriarem dentro da panela, o que vai levar por volta de 10 h (essa opção é boa para esterilizações feitas no período da noite), como também você pode, após resfriamento da panela, retirar seus recipientes e deixá-los em local limpo e fresco para resfriarem de maneira mais rápida. Não é recomendado colocar seus grãos para resfriarem na geladeira, isso vai causar uma condensação excessiva na parte interna do frasco. Após resfriados, basta proceder com a inoculação dos recipientes da mesma forma que seria feita com bolos PF Tek. Para revisar um passo a passo para inoculação, você pode conferir nosso artigo sobre isso nesse link. Agora com os grãos, é possível realizar também o Grain-to-grain (G2G), caso seja o desejado. Explicaremos o que é o G2G e como realizá-lo em artigos posteriores.
  6. Incubação: a incubação dos grãos deve ser realizada no escuro e por volta de 26°C. Para saber como montar uma incubadora, confira nosso artigo sobre isso aqui.

passos para preparar spawn de cogumelo

Está certo então amigo cultivador, agora você já sabe como funciona o fluxo da produção de grãos para spawn de cogumelos. Para poder realizar por completo esse procedimento fique de olho no nosso próximo artigo, que explicaremos em detalhes como hidratar e usar aditivos para milho pipoca, sorgo e aveia com casca!

Um bom cultivo a todos!!

Deixe um Comentário

Start typing and press Enter to search